As casas dos grandes escritores

 

A frase é clichê, mas os livros nos fazem viajar sem precisar sair do lugar. Mas você já parou para pensar como eram as casas dos escritores?

Para nossa felicidade, e para a felicidade de quem também ama viajar, muitos escritores famosos tiveram suas casas transformadas em museus. Se você adora literatura e viagem, confira algumas delas!

Casa e Museu de Mark Twain – Hartford, Connecticut, Estados Unidos

Mark Twain é autor de “As Aventuras de Tom Sawyer” e apesar da história se passa na terra natal do escritor (Mississipi), foi nessa casa em Connecticut que ele escreveu a obra que o fez ficar famoso no mundo inteiro.

Com a ajuda de um arquiteto, Mark e a esposa Olivia, planejaram todos os detalhes da cada que demorou três anos para ficar pronta.

Casa de Pablo Neruda – Valparaíso, Chile

Poeta chileno e vencedor do Prêmio Nobel de Literatura de 1971, Pablo Neruda tinha três casas: uma em Santiago, outra em Isla Negra, e a de Valparaíso – chamada de La Chascona, Isla Negra e La Sebastiana respectivamente.

As três casas têm construções arquitetônicas bem criativas – dignas do poeta criativo – e é parada obrigatória para quem vai ao Chile.

The Fitzgerald Museum – Montgomery, Alabama, Estados Unidos

F. Scott Fitzgerald é autor do clássico “O Grande Gatsby” e morou nesta casa por pouco tempo, de 1931 a 1932. Mas apesar disso, a casa conta a história do escritor e sua esposa Zelda e mostra aos fãs como os escritos que ele fez mostravam fielmente a cultura norte-americana da época.

Casa Fernando Pessoa – Lisboa, Portugal

Foi na casa em Campo de Ourique que Fernando Pessoa passou os últimos 15 anos de sua vida. A casa ainda mantém o quarto decorado como se ele ainda vivesse ali, com seus óculos, bloco de anotação e máquina de escrever.

Dizem que foi nesse quarto que eles escreveu três dos seus poemas mais famosos: “O Guardador de Rebanhos”, “A Chuva Oblíqua” e “Ode Triunfal”.

Casa de Ernest Hemingway – Flórida, Estados Unidos

A casa é ensolarada, com janelas amplas e piscina. Ernest Hemingway morou nela de 1931 a 1940 com sua ex-esposa e seus dois filhos. O autor ficou famoso por obras como “O Velho e o Mar”, “O Sol Também se Levanta” e “Por que os Sinos Dobram”.

Uma peculiaridade é que a casa tem dezenas de gatos que vivem por lá e muito dizem que eles são descendentes dos gatos que o autor e a família criavam.

Casa de Shakespeare – Reino Unido

William Shakespeare tem cinco casa no Reino Unido dedicadas a contar a sua história. Uma delas é a que ele nasceu e viveu até seus 20 anos. Nela é possível ver os detalhes de como sua personalidade de escritor foi criada – a cidade era bem agitada e cheia de pessoas.

Casa de Carlos Drummond de Andrade – Itabira, Minas Gerais, Brasil

Carlos Drummond morou nessa casa dos 2 aos 13 anos e foi um importante momento na vida do poeta já que ele escreveu vários poemas sobre o tempo que viveu lá.

A casa foi transformada em museu e possui objetos pessoais, como máquina de escrever, cartas, fotografias e prêmios literários.

Casa de Victor Hugo – Paris, França

Autor de “Os Miseráveis” e “O Corcunda de Notre Dame”, Victor Hugo morou em um apartamento na Place des Vosges, em Paris, de 1832 a 1848.

A decoração atual tem vários objetos, como a estante de pratos na parede, que foi ideia do escritor, que também adorava decoração.

Casa da Agatha Christie – Inglaterra

Agatha comprou essa casa em 1938 depois de ficar rica e famosa por conta de sua série de livros de mistérios.

Construída entre 1780 e 1790, ela está aberta ao público desde 2000 e o jardim servia de refúgio para a família nos feriados e eles também costumavam passar a primavera, o fim do verão e o Natal por lá.

Na casa é possível ver os jogos de tabuleiros em frente à lareira, o piano de cauda de Agatha e os áudios que contam a história da casa e a ralação que a família tinha com ela.  

A Casa do Rio Vermelho – Salvador, Bahia, Brasil

Além de visitar a Fundação Casa de Jorge Amado, é impossível ir à Salvador e não visitar a casa que ele morou no bairro do Rio Vermelho, que também é um museu.

Lá você encontra objetos pessoais de Jorge Amado e é possível voltar ao passado e quase sentir a presença do autor e sua esposa, Zélia Gattai, já que a voz dele ecoa pelos cômodos cheios de referências aos livros que ele escreveu.

Museu Casa de Cora Coralina – Goiás, Brasil

Essa senhorinha encantou o mundo com seus poemas simples, mas ao mesmo tempo extremamente fortes.

Cora Coralina precisou fazer doces para vender nos últimos anos de sua vida e por isso a cozinha é um dos pontos mais visitados da casa.

Chamada de “a casa da ponte”, ela ainda tem um jardim com um bica de água fresca, conserva as roupas que a autora usou, bem como a sua cama e poltrona preferida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

%d bloggers like this: